Novidades!

Editora Na Raiz

Olá pessoal,

Hoje é um grande dia! Finalmente terminei a minha tese!

Ou pelos menos, terei algum descanso até o dia da banca… a defesa pública será em18 de outubro, às 14 horasna Faculdade de Educação da USP. Estão todos convidados!

Desde o fim do ano passado, trabalhamos em um livro sobre a atuação dos biólogos. Fizemos uma campanha no Catarse, recebemos 24 textos e organizamos um livro com excelente conteúdo, ao qual demos o nome de “Profissão: biólogo. Que carreira é essa?”. Surgiu a oportunidade de participar de um edital da Editora da Universidade Federal do ABC para a publicação de livros voltados ao ensino médio, submetemos o material copilado e, ontem, tivemos a boa notícia de que a obra foi aprovada para publicação!

Por agora, não temos muitas outras informações sobre o processo editorial da Editora da UFABC, mas assim que tiver alguma novidade, volto…

Ver o post original 48 mais palavras

Valdir Lamim-Guedes; Carlos Junior Gontijo Rosa

Resumo: Na Educação à Distância (EaD), são essências para a adequação de determinado curso ao público-alvo, o material didático, ambiente virtual de aprendizagem (AVA), tutoria, entre outros aspectos. O material didático deve buscar um diálogo entre teoria e prática, favorecendo a contextualização das informações apresentadas, enquanto o AVA deve favorecer a interação e a aprendizagem coletiva. O papel do tutor tem recebido grande atenção, dada a relevância do mesmo, já que ele é o intermediador da relação aluno-docente ou facilitador na relação aluno-material didático, auxiliando na realização de atividades, oferecendo novas fontes de informação e favorecendo a compreensão do conteúdo e uso do AVA. O sucesso de um curso à distância está muito relacionado ao trabalho do tutor, como no curso Processo Formativo em Educação Ambiental: Escolas Sustentáveis e COM-VIDA, no qual a participação dos alunos e seu entendimento dos conceitos dependem do estímulo e apoio dado pelo tutor, mas também atrelado à qualidade do material didático e outros aspectos.

Palavras-Chave: Tutoria; Educação à Distância; Silêncio virtual.

Referência: LAMIM-GUEDES, V.GONTIJO-ROSA, C. J. Aspectos do processo de ensino-aprendizagem no curso Processo Formativo em Educação Ambiental: Escolas Sustentáveis e COM-Vida. EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM AÇÃO, v. 68, 2019.

Acesse o texto completo

Joao Pedro Garcia Araujo; Valdir Lamim-Guedes

Resumo: As demandas externas pela incorporação da Educação Ambiental na rotina de empresas brasileiras são cada vez maiores. O mapeamento socioambiental é um instrumento didático-pedagógico de diagnóstico, planejamento e ação, que promove a participação dos diferentes atores sociais no levantamento informações sobre um determinado local. Este trabalho constitui o relato de experiência uma ação de Educação Ambiental na Eletrobras Eletronuclear, empresa de economia mista do setor elétrico brasileiro, realizada através de um mapeamento socioambiental simplificado, com a participação de funcionários da área de meio ambiente. O local mapeado, a Vila Residencial de Praia Brava (Angra dos Reis – RJ), é de propriedade da empresa, sendo conhecido, em maior ou menor grau, pelos funcionários. Cada participante preencheu um questionário para levantamento de perfil, um mapa individual e uma avaliação da atividade. Foi elaborado um mapa síntese, no qual foram indicadas as estruturas e os processos locais de maior relevância do ponto de vista socioambiental. A atividade foi avaliada positivamente pelos participantes, havendo inclusive sugestão de incorporar este tipo de dinâmica ao Programa de Educação Ambiental da Eletronuclear. Ela permitiu ainda aos participantes uma análise detalhada e a ampliação da percepção socioambiental do local.

Palavras-chave: Dinâmica de grupo, Educação ambiental não-formal, Eletronuclear, Percepção socioambiental.

Referência: ARAUJO, J. P. G.; LAMIM-GUEDES, V. Educação ambiental em uma empresa do setor elétrico através do método de mapeamento socioambiental. INTERFACEHS (ED. PORTUGUÊS), v. 14, p. 14-27, 2019.

Acesse o texto completo

Qual o papel das pequenas ações para a sustentabilidade? Esta é uma pergunta que tenho feito repetidamente em diferentes ambientes, sobretudo digitais.

Agora retomei este debate no curso “Educação para Sustentabilidade” do Portal de Cursos Abertos (PoCA) da UFSCar (on-line, gratuito, com 10h e certificado, mas também dá para participar só por participar…).

Link do curso http://poca.ufscar.br/cursos/course/view.php?id=41 (faça o cadastro na página do PoCA antes para ver o curso).

O debate está na aba fórum da área do curso, tópico “Pequenas ações contam?”.

Gostaria de compartilhar com vocês a publicação do livro “Inovações radicais na educação brasileira”, organizado por Flavio Rodrigues Campos (Senac-SP) e Paulo Blikstein e publicado pela Editora Penso (grupo Artmed). A obra é uma iniciativa do Centro Lemann e a Escola de Educação da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Tive o prazer de contribuir para a obra com um capítulo: “O Instituto Educadores Sem Fronteiras como um laboratório para políticas públicas educativas e inovação radical”.

Página do site da editora sobre o livro:  https://m.grupoa.com.br/eb-inovacoes-radicais-na-educacao-brasileira9788584291700-p1005570

Para quem tem acesso à biblioteca virtual do Grupo A, o link para o ebook é: https://viewer.bibliotecaa.binpar.com/viewer/9788584291700 

Texto de Felipe Santos Da Silva sobre a manifestação intitulada Mulheres contra Bolsonaro! Franca/SP, ocorrida no dia 29 de setembro de 2018.

Leia o texto completo em
https://viveracidade.wordpress.com/2019/04/08/resignificar-a-liberdade-nas-ruas-em-dias-de-trevas/

Este texto integrará a segunda edição do livro, veja a chamada:
https://viveracidade.wordpress.com/sobre/

(Vi)ver n_a Cidade: Ocupações de espaços urbanos

Felipe Santos Da Silva, Franca/SP (felipe.stos.sva@gmail.com)

Diante dos últimos
acontecimentos políticos ocorridos, se faz necessário rememorar um fato que
aconteceu na cidade onde nasci, cresci e vivo até os dias atuais e que me
marcou profundamente.

Em minha condição atual,
enquanto pertencente à comunidade LGBTTQI+, me vi e me vejo no dever e na
obrigação de reivindicar visibilidade em espaços públicos, como: na universidade
em que estudo, onde percebo um preconceito velado, mas ainda presente; no
ambiente de trabalho, onde identifico que esta minoria é tolerada devido aos
desdobramentos econômicos que subjazem o meio comercial; e, claro, nas ruas,
onde o ódio, os atos de violência, discriminação, preconceito e intolerância
são vivenciados por nós, LGBTTQI+, todos os dias.

Meu relato refere-se a
uma manifestação social intitulada Mulheres
contra Bolsonaro! Franca/SP
, ocorrida no dia 29 de setembro de 2018. O ato
político foi mobilizado por integrantes de partidos de…

Ver o post original 405 mais palavras

Dossiê da revista Plural Pluriel – revue des cultures de langue portugaise sobre Timor-Leste.

Introdução

Artigos

Documentos

Comptes-rendus

Resumo: O presente artigo tem por objetivo analisar projetos educacionais com temas ambientais desenvolvidos na rede escolar baseados na concepção de Fernando Hernández para a adoção da pedagogia de projetos que difundam a educação ambiental na escola e na sociedade em geral. O estudo apresenta uma apreciação dos trabalhos selecionados na internet e breve discussão baseada nos referenciais teóricos citados. O resultado do trabalho possibilita um novo perfil de ensino-aprendizagem e, consequentemente, transforma e preserva o mundo que nos cerca.

Palavras-chave: Análise; Projetos educacionais; Educação ambiental; Fernando Hernández

CREMONESE, M. R. A.; LAMIM-GUEDES, V. Análise de projetos educacionais com temas em educação ambiental segundo a concepção de Fernando Hernández. Educação Ambiental em Ação, v. 67, 2019.

Acesse o texto completo

Nova edição do livro sobre o PLS 221/2015, que quer criar a disciplina de educação ambiental na educação básica.

Editora Na Raiz

O livro Educação ambiental na educação básica: entre a disciplinarização e a transversalidade da temática socioambiental (segunda edição revista e ampliada) nos apresenta de forma original um conjunto de artigos que aborda o tema da educação ambiental nas escolas num contexto em que se debatem mudanças que se coloca em questão o desenho curricular e os potencias riscos que pode promover na formação dos estudantes. O livro mostra a relevância de trazer à tona questões que permeiam o conflito interdisciplinaridade e disciplinarização apresentando a importância da participação de todos os atores que possuam interface com o debate, defendendo a transversalidade da temática ambiental (Trecho do Prefácio do Profº. Drº. Pedro Roberto Jacobi – USP para a primeira edição).

A concepção deste livro – que agora publicamos sua segunda
edição, revista e ampliada – surgiu após a proposição do Projeto de Lei do
Senado (PLS) 221/2015 de autoria do Senador Cássio…

Ver o post original 144 mais palavras

Bookmark and Share

Clique para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 3.701 outros seguidores

Categorias

E-mail

dirguedes@yahoo.com.br

Mensagens recentes no Twitter

Current CO2 level in the atmosphere

População Mundial

Já somos 7 bilhões! Clique na figura e veja a população atual.

%d blogueiros gostam disto: