Arquivo Museu Resistencia Timorense. Fonte: Facebook AMRT

Valdir Lamim-Guedes, Carlos Junior Gontijo-Rosa

Museologia e Patrimônio, v. 7, p. 139-153, 2014

Resumo: O Timor-Leste é um pequeno país do sudeste asiático, com uma longa história de dominação e de resistência. Foi colônia portuguesa até 1975, sendo logo depois invadido pela Indonésia. A busca pela independência e autodeterminação gerou um longo e intenso período de resistência, que incluiu luta armada, pressão diplomática, participação popular e o reforço de características que reforçavam a diferenciação cultural em relação à indonésia, como a religião católica e o uso do português. Um extenso material documental acerca do período foi reunido e exposto no Arquivo e Museu da Resistência Timorense. O tema deste texto é o papel desta instituição como salvaguarda da memória coletiva e construção da identidade nacional timorense e a realização de uma visita com alunos da Universidade Nacional de Timor-Leste.

LAMIM-GUEDES, V. ; GONTIJO-ROSA, C. J. Arquivo e museu da resistência timorense: memória coletiva e a construção da identidade nacional em Timor-Leste. Museologia e Patrimônio, v. 7, p. 139-153, 2014.

Texto Completo: PDF

Featured Image -- 4961

Fonte da figura: Álbum de fotos no Facebook “O O Direito achado nos muros”.

O site CatracaLivre compartilho no Facebook a notícia “Advogadas criam empresa para evitar discriminação homoafetiva no ambiente de trabalho” e isto motivou um pequeno comentário pessoal, também compartilhado no Facebook, que reproduzo aqui.

Pensando nas dimensões da sustentabilidade (leia mais aqui:http://wp.me/pE4ry-Wq), não podemos considerar que estamos alcançado a sustentabilidade se as liberdades individuais, como a sexual, sejam desconsideradas. É neste ponto, por exemplo, que o discurso da Marina Silva* torna-se falacioso: sustentabilidade não é “apenas” animaizinhos felizes na floresta :)

*pensando no debate da campanha presidencial de 2014, no qual, a candidata colocou-se contra o casamento gay, entre outros pontos retrógados (para não citar os neoliberais).

A ideia é dedicar-me a questão dos movimentos sociais e a relação destes com as dimensões da sustentabilidade.

Leia mais:

Artigos científicos

MULHERES E SUSTENTABILIDADE: UMA APROXIMAÇÃO ENTRE MOVIMENTO FEMINISTA E A EDUCAÇÃO AMBIENTAL

CONSCIÊNCIA NEGRA, JUSTIÇA AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE

Posts

DIMENSÕES DA SUSTENTABILIDADE

MULHERES E SUSTENTABILIDADE

CONSCIÊNCIA NEGRA, JUSTIÇA AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE.

Publicado originalmente em Vi(ver) n_a Cidade:

Álbum de fotos no Facebook com diversas intervenções em muros com foco na temáticos de direitos.

Ver original

Rafael de Araujo Arosa Monteiro & Valdir Lamim-Guedes

Resumo: Este texto trata da realização de uma metodologia participativa, intitulada Biomapa, desenvolvida com o objetivo de identificar os principais problemas presentes no bairro do Gonzaga, Santos/SP, por meio das percepções de moradores da cidade. Participaram do processo vinte pessoas e os principais problemas apontados foram divididos em seis categorias: Mobilidade Urbana; Meio Ambiente; Meio Ambiente e Infraestrutura; Exclusão Social; Segurança; e Especulação Imobiliária. A realização do Biomapa permitiu aos participantes identificar os principais problemas do bairro, bem como visualizar a relação existente entre alguns destes, gerando ao final do processo um diagnóstico parcial da realidade vivida.

Palavras-chave: Educação Ambiental; Diagnóstico Participativo; Biomapa.

MONTEIRO, R. A. A. ; LAMIM-GUEDES, V. Diagnóstico participativo: uso da metodologia biomapa para o bairro do Gonzaga de Santos/SP. Educação Ambiental em Ação, v. 50, 2014.Disponível em <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1938&class=41>. Acesso em fevereiro de 2015.

Acesse o texto completo

Tabita Teixeira & Valdir Lamim-Guedes

Resumo: Este trabalho trata da construção participativa de um biomapa no bairro Jardim Netinho Prado, no Município de Jaú/SP. Este biomapa foi construído na primeira semana de maio de 2014 com 25 participantes entres moradores, trabalhadores e visitantes do bairro, os quais foram abordados para identificarem pontos que continham áreas verdes e de lazer, serviços públicos, problemas socioambientais e refletirem sobre os mesmos. A construção deste biomapa resultou na construção da visão crítica dos participantes sobre o bairro e o resgate dos seus pertencimentos.

Palavras-chaves: Educação Ambiental; Diagnóstico Participativo; Percepção Ambiental; Biomapa.

TEIXEIRA, T. ; LAMIM-GUEDES, V. Biomapa do Bairro Jardim Netinho Prado (Jaú/SP). Educação Ambiental em Ação, v. 50, 2014.Disponível em <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1939&class=41>. Acesso em fevereiro de 2015.

Acesse o texto completo

Mário Luis Villarruel-Silva & Francisca Helena Vetorazo

Resumo: Ao entendermos as mudanças no ambiente escolar, a partir do pressuposto das transformações da sociedade como um todo, propomos uma reflexão acerca das representações sobre sexualidade que professores e professoras – enquanto partícipes do amplo grupo social – carregam e propalam em seu cotidiano no ambiente profissional. O trabalho se circunscreve à realidade de uma escola privada; com docentes de diversas áreas do conhecimento e com atuações concomitantes no Ensino Fundamental e Ensino Médio. Apoiamo-nos, centralmente, na teoria das representações sociais paralela a análises de cunho sócio-pedagógico podendo, assim, perceber como esses profissionais compreendem e comunicam o que eles já sabem sobre o tema sexualidade, quais são suas representações acerca disso e como se dá o mecanismo de convivência no espaço da sala de aula ao se legitimar ou excluir as diferenças.
Palavras-chave: Sexualidade. Representações sociais e contexto escolar.

VILLARRUEL-SILVA,M.L.; VETORAZO, F. H. Sobre representações docentes: sexualidades, produção e manutenção de sentidos no ambiente escolar. Revista Direito e Bioética, v. 01, p. 21-51, 2013.

Download do texto completo: Sobre representações docentes: sexualidades, produção e manutenção de sentidos no ambiente escolar

Está disponível para download o livro “Aprendendo ciência e sobre sua natureza: abordagens históricas e filosóficas”, organizado por Cibelle Celestino Silva e Maria Elice Brzezinski Prestes, que contém uma seleção de trabalhos apresentados em dois eventos sobre uso de história e filosofia da ciência no ensino, ocorridos em Maresias, SP, em agosto de 2010: a 8ª Conferência Internacional sobre História da Ciência na Educação em Ciências (8th ICHSST), e a 1ª Conferência Latino-Americana do Grupo Internacional de História, Filosofia e Ensino de Ciências (1st IHPST‐LA).
http://tinyurl.com/ne5m8m8

Bookmark and Share

Clique para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 1.390 outros seguidores

Categorias

E-mail

dirguedes@yahoo.com.br

Mensagens recentes no Twitter

Current CO2 level in the atmosphere

População Mundial

Já somos 7 bilhões! Clique na figura e veja a população atual.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.390 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: