Resumo: A partir de relatos de viajantes naturalistas que passaram por uma região é possível fazer uma reconstrução das paisagens no período descrito. Assim como, ao visitar os locais descritos e ler trechos dos diários de viagem é uma forma de explorar as interfaces entre história, biologia e educação ambiental. Neste texto, apresentamos estes aspectos tendo como estudo de caso a região de Ouro Preto, Minas Gerais, no século XIX.

Palavras-Chaves: paisagem e memória; percepções da natureza; interdisciplinaridade; degradação ambiental.

Referência: LAMIM-GUEDES, V. História ambiental e educação ambiental: sugestão de uso dos relatos de viagem em ações educativas. Educação Ambiental em Ação, v. 45, 2013. Disponível em <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1558&class=41>.

Acesse o texto completo

Leia também:

UMA ANÁLISE HISTÓRICO-AMBIENTAL DA REGIÃO DE OURO PRETO PELO RELATO DE NATURALISTAS VIAJANTES DO SÉCULO XIX

AS VILAS DE MINAS NA VISÃO DOS VIAJANTES NATURALISTAS

AS VILAS DE MINAS NA VISÃO DOS VIAJANTES NATURALISAS – FESTIVAL DE INVERNO DE OURO PRETO E MARIANA 2011

OURO PRETO E MARIANA, 300 ANOS DE GERAÇÃO DE RIQUEZA, EXCLUSÃO SOCIAL E DEGRADAÇÃO AMBIENTAL