A concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera ultrapassou pela primeira vez (talvez em alguns milhões de anos) a marca de 400 partes por milhão (ppm), vista como um limite emblemático do fracasso dos esforços globais de controlar as emissões do principal gás relacionado ao aquecimento global e às mudanças climáticas.