Capture

Apresentação do livro “conservação da natureza: e eu com isso?” -2012

A natureza brasileira

O maior, mais importante e principalmente insubstituível patrimônio que sustenta nossa sociedade – está desaparecendo diante de nossos olhos.

Fruto de uma conjunção perversa de ignorância e omissão da população em geral, imediatismo e falta de patriotismo de uma parte de nosso empresariado, mal acostumada a avançar sobre o que é público para amealhar lucros privados, e principalmente no atual momento político uma visão retrógrada de “desenvolvimentismo” à la União Soviética dos anos 1950 da classe política dominante, que pretende sacrificar todo o futuro para ganhar vantagens efêmeras em poucos anos do presente, estamos vendo a gestão do patrimônio natural brasileiro ser destruída proposital e violentamente.

Não são necessidades legítimas de desenvolvimento que pressionam pela destruição de nossos ecossistemas remanescentes e sua biodiversidade, mas sim políticas públicas pensadas para beneficiar determinados setores muito específicos da economia – sobressaindo aí as empreiteiras, os latifúndios, a mineração (incluindo o ufanismo histérico do petróleo) e a pesca industrial – que estão levando a um desmonte deliberado e orquestrado do arcabouço nacional de gestão ambiental, da legislação pioneira e esclarecida que tínhamos como legado de décadas de construção democrática aos órgãos ambientais, os quais, se nunca foram valorizados como deveriam ser, no atual quadrante estão sendo desmantelados propositalmente para dificultar sua função de conservar, avaliar, monitorar, licenciar e fiscalizar o uso da Natureza que ainda nos resta. Isso em um ano em que vemos as autoridades nacionais, atentas apenas à pantomima política, receber no país a Conferência Rio+20, cuja provável falta de resultados práticos para estancar a devastação já é tema de denúncia pública até por oficiais da própria ONU.

A euforia do falso milagre econômico, promovido à custa, de um lado, da extorsão criminosa do produto do trabalho aos pagantes de impostos e taxas infindas para subsidiar atividades setoriais insustentáveis e financiar um consumismo degenerado, e de outro, da queima frenética de nosso capital natural pela mineração (ou seja, uso desregrado, final, irreversível) de florestas, solos, águas, fauna, paisagens e de nossa própria qualidade de vida, pode ofuscar perante muitos o tamanho do desastre que estamos perpetrando contra esta e as futuras gerações de brasileiros.

Mas não ofusca nem engana a todos, e a cada dia mais cidadãos se dão conta disso. É com vistas a estimular o debate, provocar a reflexão e convocar à ação cidadã contra a destruição de nosso patrimônio natural que a Rede Marinho-Costeira e Hídrica do Brasil – REMA vem atuando no sentido de difundir informações sobre os grandes temas ambientais nacionais e as pequenas barbaridades do dia-a-dia. Este livro, e os que se seguirão, são parte desse esforço, que complementa a informação ágil que prestamos através do portal www.remaatlantico.org .

Contando com alguns dos nomes mais importantes da Conservação no Brasil, o conjunto desses textos pretende dar resposta a uma pergunta vital: o que VOCÊ tem a ver com isso? Ao ler – e esperamos, compartilhar – este livro, esperamos que nossos leitores encontrem resposta, e também motivação, para ajudar a reverter esse estado de coisas inaceitável. A Natureza Brasileira exige respeito, e reação. Cabe a nós defendê-la contra os abusos reinantes. A hora é agora.

José Truda Palazzo Jr.

Presidente, Rede Marinho-Costeira e Hídrica do Brasil – REMA

Download do livro

CONTEÚDO

MEIO AMBIENTE, DESENVOLVIMENTO E CONSERVAÇÃO DA NATUREZA

Miguel Serediuk Milano

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NO BRASIL: LUTANDO POR PARQUES DE VERDADE

Maria Tereza Jorge Pádua

MOSAICOS DE ÁREAS PROTEGIDAS: GESTÃO INTEGRADA E PARTICIPATIVA DE TERRITÓRIOS SUSTENTÁVEIS

Clayton Ferreira Lino e Heloisa Dias

RPPN – O QUE VOCÊ GANHA COM ISSO?

João Bosco Priamo Carbogim

“OLHANDO PARA O MAR” : PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE NA ZONA COSTEIRA

Kleber Grübel da Silva e

Carla Valéria L. Crivellaro

PARQUES, TUBARÕES E OPORTUNIDADES PERDIDAS: O BRASIL PERDE O BONDE DA HISTÓRIA…

José Truda Palazzo Jr.

OS MANGUEZAIS E A CARCINICULTURA – PRATO DO DIA: “CAMARÃO EXÓTICO A BIODIVERSIDADE” – UMA RECEITA INDIGESTA

Antônio Jeovah de A. Meireles e

Luciana de S. Queiroz

O MARAJÓ, O NOSSO MARAJÓ, VIVA O MARAJÓ

João Meirelles Filho

CORONELISMO HÍDRICO NA TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO

João Suassuna

O COLAPSO DA PESCA NO PANTANAL 128

Thomaz Lipparelli

ENERGIA NO BRASIL: ESTÁ NA HORA DA REVOLUÇÃO ENERGÉTICA

Leandra Gonçalves e Ricardo Baitelo

O ATAQUE À LEGISLAÇÃO AMBIENTAL E A ATUALIDADE DA TRAGÉDIA DOS COMUNS

Fernando Fernandez

Download do livro