Muitas cidades, até mesmo algumas capitais, ainda podem contar com feiras para a comercialização da produção de pequenos agricultores, isto é, espaços para a comercialização direta entre produtores e consumidores, sem o intermédio de Centrais de Abastecimento (CEASA). A maioria destes produtores tem a produção baseada na mão de obra familiar, vendendo o excedente produzido. Esta forma de comercialização de produtos agropecuários é muito importante para a economia local e para a sustentabilidade socioambiental, por contribuir para a geração de renda de agricultores familiares, com a redução dos impactos sobre o meio ambiente.

Ir a feira pode ser uma atividade muito interessante e informativa para os alunos. Vários assuntos podem ser abordados durante uma visita deste tipo, pertencentes a diversas disciplinas, por exemplo, economia, geografia, antropologia e biologia. E o mais importante, tratar as informações de forma contextualizada, abordando como os conteúdos teóricos tem relação com a prática. E ainda possibilitando que os alunos obtenham uma visão sobre vários aspectos comportamentais que são insustentáveis do ponto de vista ambiental e social.

Texto completo

Referência:

LAMIM-GUEDES, V.; OLIVEIRA-VILELA, A. L. Ir à feira, a sustentabilidade nas pequenas coisas. Educação Ambiental em Ação, v. 37, 2011. Disponível em <http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1061&class=41&gt;.

Anúncios