Este foi o 4º. ano que participo do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana/Fórum das Artes. Já fui bolsista, coordenador de evento, participante de mesa-redonda e oficineiro. Esta semana, estava fora e voltando pra cá fiquei ansioso para passar o último dia do Festival na Velha e Barroca Ouro Preto.

Este dia é sempre muito interessante, por causa de uma mistura de sentimentos que a gente sente:

* A nostalgia, com lembranças dos festivais passados,

2008, como bolsista foi uma correria, vários eventos: caminhadas, cortejos e seminários.

2009, uma bela caminhada para marcar presença na programação do Festival, e um último inesquecível: 17 horas de atividades em um dia…

2010, mesa-redonda, contribuição para o debate sobre mudanças climáticas.

*Satisfação, do trabalho bem feito, feito com o coração, além das mãos. Uma oficina (fotos) que agradou a quem fez e a quem ministrou. Que as memórias dos Viajantes Naturalistas fizeram reavivar as Vilas de Minas do início do século XIX.

* Saudade, do que aconteceu nos dias do Festival, apesar de serem tão recentes, já deixam marcas; Nestes 4 anos coleciono grandes amizades que começaram nos festivais ou por causa destes.

* Tristeza, pois o Festival está acabando e aquele clima de extrema riqueza cultural perderá seu vigor;

* Esperança, já pensando o que acontecerá no próximo festival; O próximo tema, Desenvolvimento Humano?, com a realização da Rio+20 no Brasil em 2012? o que irei propor…

* Alegria, uma inexplicável alegria que faz disparar o coração.

Quero agora subir e descer ladeiras, encontrar pessoas vivendo a cidade, este momento… A vida continuará e, mais uma vez, tenho um mês de julho que deixará saudades.

Depois deste Festival, e de 8 anos de Ouro Preto, estou mais convencido de que: Ouro Preto é um lugar mágico.

Forte Abraço

Anúncios