Seria a de informar a população, buscando a justiça, paz e desenvolvimento? Esta seria uma ótima resposta, contudo, não é isto que geralmente acontece. O artigo A inflação e a dívida pública traz o caso da relação setor financeiro-mídia para manter a política monetário do governo que, em resumo, é uma grande transferência de recursos públicos para a iniciativa privada, sem benefícios para a população.

Este tipo de comportamento da mídia me incomoda há muito tempo. E sempre esforço-me para mostrar a outras pessoas coisas do tipo. Neste sentido, ano passado, questionei meus alunos do ensino médio sobre a opinião deles quanto o Movimento dos Sem Terra.

Como o esperado, muitas criticas, sobretudo às invasões de propriedades rurais e prédios públicos. Era nítido que a opinião, até mesmo os exemplos, eram iguais aos apresentados nos jornais da grande mídia, principalmente o Jornal Nacional da Rede Globo.

Comentei com eles sobre a produção agropecuária no Brasil. O prato do almoço daquele dia, tinha apenas soja ou apenas carne? Ou tinha sido um “bife duplo com soja e açúcar”. Resposta: “não, tinha arroz, feijão, couve, carne de porco…” (combinação bem mineira). Só que grande parte da produção agrícola brasileira é de carne e soja.  Aproveitei e expliquei a história do latifúndio que produz apenas alface. Contei também que a maior parte do feijão (75%) brasileiro é produzido pela agricultura familiar.

E o golpe pesado do dia foi contar o caso da invasão da fazenda da Cutrale (maior exportadora de suco de laranja do mundo) no interior paulista, com direito a uma cobertura midiática pesada, que mostrava plantações de laranja sendo destruída, enquanto agricultores plantavam roças de milho e feijão. Mas a verdade não foi apresentada. O criminoso nesta história era a própria Cutrale, a “vitima”, porque a área da fazenda era pública, portanto um caso de grilagem.

Sobre este assunto leia Desmatamento para produzir alimentos? (Um bilhão de mortos-vivos contra as Cutrales do mundo).

Portanto, apresentei a A Ideologia da “Motoserra sem Ideologia”. Com isto os alunos ficaram quietos, um longo silêncio, como se remoessem o que tinham acabado de ouvir. Depois comentaram que o jornal mentiu neste caso…

O fim da aula foi um debate sobre o que existe por detrás da mídia: relações políticas-econômicas que criam um cenário apropriado para o negócios dos conglomerados financeiros. E o melhor, pude explicar porque eles estavam na escola, para terem condições de analisar a notícia e criar uma opinião própria.

Resultado: não dei nada que o conteúdo planejado, mas meus alunos foram alertados e compreenderam a mensagem: pensai por vocês mesmos.

Sobre o papel da mídia, Leia Mais: A MP458, Código Florestal e a Violência na Amazônia

Anúncios