“Requilombô todo o povo, requilombô toda a gente”
Aí um dia me perguntaram: “Por que tem o dia da consciência negra, e não tem o dia da consciência branca?”Ora por que todo dia é o dia da consciência branca ainda precisa pontuar? É a mesma coisa do dia das mulheres, só faz sentido dentro de uma sociedade sexista, se a sociedade não fosse sexista não faria o menor sentido ter o dia das mulheres, todo dia é dia da mulher, todo dia é dia de todo mundo…

A idéia de você racializar o discurso não é para tomar uma oposição em relação ao branco, mas sim a idéia de que eu, quando digo que sou negro, assumo a minha ascendência, a minha história e estou disposto a construir o reino da diversidade… E ao mesmo tempo estar diante mestiçagem, mas a mestiçagem como reino da diversidade e não com uma idéia de que nós temos uma ascendência que precisa ser maquiada. Da diversidade real, não da fantasia. É como se você tirasse a máscara da “democracia racial” e, por trás dela, tivesse um Brasil verdadeiro e aí sim, diverso,ai sim  mestiço. Mas mestiço neste sentido, não no sentido de ”vamos todos nos tornar cada vez mais brancos.” Você pode ser democrático, você pode ser diverso, mas sem abdicar de sua ascendência.

“Eu escutei um zum zum zum por aí,ouvi dizer que muita gente é Zumbi.”
Por isso datas como o 20 de novembro, são tão importantes. Porque unge-se um herói negro que se coloca como fonte da história.Aí você retira a idéia de que a abolição foi uma benesse do Estado Monárquico e traz a consciência de que o negro fez a história. ZUMBI!
“Requilombou todo o povo, requilombou toda a gente”  (Refrão)
Mas agora  a  gente  precisa avançar,porque os heróis somos todos nós Os heróis somos todos nós
Os heróis somos todos nós
Os heróis que  sobrevivem no dia-a-dia
Os heróis somos todos nós
E não um herói que vai nos levar ao caminho da liberdade.
Os heróis somos todos nós
E cabe a nós não passarmos adiante a inferioridade
Os heróis somos todos nós
Cabe a nós retiramos o esteriótipo
e trazemos a  identidade.
Isso é democrático. Ser agente da sua própria história.Se auto representar.
Isso é democrático . Se auto representar
Isso é realmente democrátco.
É ter a seguinte postura: sou negro sim, sou brasileiro, quero meus direitos e não estou tirando nada de ninguém. Não estou dizendo que branco é ruim, é pior, eu não estou dizendo nada disso, estou dizendo: sou negro, tenho orgulho de ser negro e quero meus direitos, como cidadão brasileiro.
Os heróis somos todos nós
Os heróis somos todos nós
Eu não preciso me integrar a sociedade
Eu sou a sociedade!

Leia mais neste blog sobre Consciência negra


A Frente 3 de fevereiro é um grupo transdisciplinar de pesquisa e ação direta que discute o racismo na sociedade brasileira. Sua abordagem cria novas leituras e coloca em contexto dados que chegam à população de maneira fragmentada através dos meios de comunicação. As ações diretas criam novas formas de manifestação sobre as questões raciais. Para pensar e agir em uma realidade em constante transformação, permeada por mudançãs culturais de diversas escalas e sentidos, se fazem necessárias novas estratégias. A frente 3 de fevereiro associa o legado artístico de gerações que pensaram maneiras de interagir com o espaço urbano à histórica luta e resistência da cultura afro-brasileira.

http://www.frente3defevereiro.com.br/


Zumbi Somos Nós. Manifesto sonoro e visual que traz as novas sonoridades e imagens urbanas, e seu elo indivisível com o legado afro-brasileiro. Espécie de bricolagem que une os tambores ancestrais, os ritmos contemporâneos e as novas simbologias visuais. “Zumbi Somos Nós” propõe uma reflexão sobre questões raciais na sociedade brasileira contemporânea e a criação de estratégias artísticas para responder a estas questões, inscrevendo na vida cotidiana novas formas de olhar, pensar e agir.

O documentário é um desdobramento da linguagem da Frente 3 de Fevereiro, grupo que aborda o racismo na sociedade através de intervenções artísticas, e cria um diálogo afinado entre imagem e som, norteado por narradores-personagens-mc’s.

Ficha Técnica
Duração: 52 minutos
Ano: 2007
Direção: Frente 3 de Fevereiro
Co-produção: Fernando Coster / Gullane Filmes / Fundação Padre Anchieta – TV Cultura

Disponível no youtube (quem quiser consegi baixar do youtube): http://www.youtube.com/view_play_list?p=998D96006DD7F85D&search_query=zumbi+somo+nos
para ver um trailler do doc: http://www.tvbrasil.org.br/doctv4/?p=143


Fotos do show Diaspora Afronética
http://contrapontoefuga.wordpress.com/2008/07/21/zumbi-somos-nos-diaspora-afronetica/


Existe um livro para download no site http://www.frente3defevereiro.com.br/


Diaspora Afronética
Um disco muito bom, onde o rap, a música de terreiro e outras manifestações da música brasileira se encontram com uma inteligência e propriedade poucas vezes vista.

Diaspora Afronética – download: http://www.frente3defevereiro.com.br/

About these ads